Categorias | Dicas

Tags | ,

Dicas sobre Vinho

Publicado a 14 Fevereiro 2012 por Carla Rocha

NÃO AO GELO
Nunca coloque uma pedra de gelo num copo com vinho, pois tal diferença de temperatura modifica a sua qualidade, sabor e bouquet.

COPOS E TAÇAS
Os copos ou taças devem de ser transparentes e incolores, para que não mesclem a cor do vinho.

CUIDADO
Segure o copo pela haste, para evitar que o vinho aqueça através do calor das mãos.

SERVIR
Serve-se somente um terço do copo, deixando espaço para que haja o desprendimento do aroma, tanto nos tintos, como nos brancos.

OBSERVE
Examine bem a garrafa antes de a comprar. O nível do líquido nunca deve estar abaixo do normal e a rolha deve estar em boas condições.

ONDE COMPRAR
Compre o seu vinho em locais onde haja variedades e, principalmente, boa rotatividade de vendas. O risco de comprar um vinho prematuramente envelhecido e mal conservado será quase nulo.

BOM LUGAR
Esta é uma dica para quem não tem um lugar fresco em casa. Guarde o vinho debaixo do lava-loiça, geralmente aí é onde temos a melhor temperatura, sem fazer uso de frigorífico ou adega climatizada.

VINHO BRANCO
NÃO guarde vinhos brancos considerados bons, como alguns australianos, chilenos, franceses, italianos e outros, durante mais de 3 anos, contados do ano da colheita, pois saiba que eles passarão a apresentar aromas e sabores de frutas mais maduras. Se você não gostar, beba os brancos logo após a compra.

NÃO GUARDE POR MUITO TEMPO
Se você compra vinhos que não são considerados grandes vinhos, como a maioria dos bebedores de vinhos, NÃO guarde os vinhos por períodos longos, ou seja, compre e beba após alguns dias ou, no máximo, meses.

O VINHO DEVE RESPIRAR?
A partir do momento em que é engarrafado, o vinho permanece num ambiente fechado e desprovido de oxigénio, o que é necessário para a sua conservação. Mas, no momento de ser servido, ele precisa de oxigénio para revelar os seus aromas mais finos. A maior parte dos enófilos concorda que só tirar a rolha e deixar o vinho na sua garrafa original pode ser insuficiente para oxigenar todo o líquido, uma vez que a superfície em contacto com o ar é muito pequena. Por isso, recomenda-se transferir o vinho para um decanter ou uma jarra para que, durante essa passagem, todo o líquido entre em contacto com o ar.

TEMPERATURA DO VINHO I
Uma temperatura ainda mais baixa, por volta dos 8ºC, ajuda a conservar melhor o gás dos vinhos espumantes. E vinhos brancos mais encorpados, charmodonnays em particular, exprimem-se melhor quando servidos entre 12 e 13ºC.
Vinhos tintos caracterizam-se pela presença de tanino, substância que provoca sensação de rugosidade na língua. Essa aspereza fica mais evidente quanto mais baixa for a temperatura. Assim, vinhos tintos com mais tanino ficam menos agressivos em torno dos 20ºC. Tintos leves mostram mais o seu valor frutado por perto dos 16ºC.

TEMPERATURA DO VINHO II
A temperatura de um vinho no momento em que ele será servido é de extrema importância, porque é ela que permitirá a bebida mostrar as suas combinações aromáticas e o seu sabor. Como cada vinho tem as suas peculiaridades, há sempre uma temperatura mais adequada, que ajuda a ressaltar as suas qualidades e, eventualmente, a esconder os seus defeitos. Temperaturas mais baixas ressaltam o frescor e o sabor frutado dos vinhos brancos leves, que revelam melhor essas características quando servidos por volta de 10ºC.






http://www.paparoka.com/dicas-sobre-vinho/

Deixe o seu comentário