Categorias | Blog

Passo a Passo Trutas de Batata Doce

Publicado a 18 Novembro 2012 por Carla Rocha

Viver longe da família tem destas coisas. Há sempre coisas que gostamos muito e que só comemos quando voltamos a casa. Neste caso também apenas na altura do Natal, por se tratar de uma receita típica de Natal.

Por causa destes desejos, já há algum tempo que levava a ansiar para me aventurar a fazer trutas. Na família a única pessoa que a faz é a minha avó J., mas parece que agora já tem uma ajudante ;-).

Como todas as receitas da minha avó, esta também é feita a ‘olho’, motivo pelo qual tive que pesquisar um pouco até encontrar uma receita para a massa que tivesse as medidas certas.

Encontrei uma receita no ForumBimby. A receita pertence à utilizadora Gisa. Depois foi só falar alterar com alguns dos truques da minha avó.

É uma receita trabalhosa, mas que o resultado final, cumpriu na integra o seu propósito. Desejos satisfeitos :-).

As batatas que utilizei vieram de Olhão (claro), pois não é algo que aqui se encontre facilmente. Normalmente não se usam.

O recheio deve de ser feito com antecedência de modo a que possa arrefecer completamente. Eu fi-lo de véspera e deixei-o arrefecer durante a noite.

O primeiro passo é descascar as batatas, lavá-las e levá-las a cozer em água. Depois escorrem-se (reservando um pouco de água) e esmagam-se com um passe-vite ou com um esmaga-batatas.

Logo neste passo, pensei que não ía correr muito bem!
Estava eu ao telemóvel com a minha avó, toda contente a dizer-lhe que já tinha começado a fazer as trutas, quando lhe disse que já tinha cozido as batatas e que ía agora esmagá-las com a varinha mágica. Diz logo ela ‘olha que não fica tão bom’. Segundo ela, pode ser feito, mas não fica tão apuradinho.
Eu como não tenho passe-vite, comecei logo a entrar em stress! pois queria mesmo que tudo corresse bem. Lembrei-me então do esmaga-batatas que estava na gaveta. Et voilá, fez-se luz. Lá ficámos as duas mais contentes!!

trutas

Depois de esmagar as batatas verifiquei que ficaram um grumos pequenos. Perguntei à especialista, que me disse que se dissolviam durante a cozedura.

Para o passo seguinte, podia-se misturar o açúcar directamente ao puré, mas não. Segundo a minha avó fica melhor se diluirmos o açúcar num pouco de água e levarmos ao lume para que ganhe um ponto fraco. Foi o que fiz. Pensando bem, acho que agiliza o processo.

trutas

Enquanto o açúcar estava ao lume, juntei ao puré a raspa de um limão e

trutas

uma colher de sopa, bem cheia, de canela. De seguida mistura-se bem.

trutas

Estando o açúcar já derretido, juntei a mistura do puré e envolvi tudo muito bem.

trutas

Nesta fase já apresenta um aspecto semelhante ao aspecto final desejado.

A partir daqui é usar força de braço para mexer regularmente, até atingir o ponto desejado.
O meu levou cerca de 50 minutos. Comecei a ver que estava bom, quando se tornou muito pesado, arrastando-se bem e deixando ver o fundo do tacho.

De seguida transferi-o para uma taça, onde dormiu toda a noite de modo a arrefecer.

trutas

Na manhã seguinte e cheia de vontade, pus ‘mãos à obra’.

A primeira coisa a fazer é preparar todos os ingredientes da massa, para depois de começar a amassar não parar mais. Assim derreti a margarina e a banha em separado no microondas. Espremi o sumo à laranja e meti-o num copo medidor.

Juntei ao copo medidor 100 ml de vinho branco e acabei de encher o copo até atingir os 500 ml com água morna.

trutas

A receita que vi no ForumBimby, como é óbvio utiliza a Bimby, contudo resolvi não fazê-lo, preferi usar a capacidade da Kitchenaid de amassar. É simplesmente fenomenal!
Claro que se pode usar a bimby e claro também que também se faz do modo mais tradicional, à mão. É assim que a minha avó a faz sempre, nunca falha. As máquinas servem apenas para nos facilitar o trabalho.

Comecei por deitar a farinha no copo.

trutas

Primeiro juntei as gorduras. O resultado foi uma massa areada.

trutas

Depois os 500 ml de liquido.

trutas

A partir daqui foi só deixar a maquina trabalhar.

trutas

A massa obtida é uma massa elástica, excelente para trabalhar.

Para montar as trutas é necessário um rolo de massa, um cortador de serrilha, duas colheres de sobremesa, o recheio e a massa.

trutas

A partir daqui começa uma tarefa trabalhosa que é moldar as trutas até esgotar todos os ingredientes. O modo de o fazer é semelhante ao modo de moldar rissóis. A diferença é que se utiliza um cortador de serrilha, ao invés de utilizar um cortador fixo.

O primeiro passo é esticar bem a massa, que deve de ficar fina.
Eu utilizei um truque. Sempre que começava a ver a pedra da bancada através da massa, achava que já estava bem esticada.

trutas

Com a ajuda de duas colheres de sobremesa (uma para retirar o recheio da taça e outra para o ajudar a sair da colher), dispõe-se uma pequena porção de recheio sobre a massa.

trutas

Tapa-se o recheio com uma das extremidades da massa

trutas

e corta-se com o cortador.

trutas

Vão-se dispondo as trutas num tabuleiro.

trutas

Repetem-se estas operações até esgotar os ingredientes. Aqui estão as minhas. Dois tabuleiros de forno cheios!!

trutas

Enquanto executava esta demorada tarefa, observei que com o passar do tempo, a massa ía secando.

trutas

Para evitar que continuasse, molhei papel de cozinha em água e tapei a massa. Deste modo evita-se que seque rapidamente.

trutas

Já com as trutas todas moldadas, passei à fase de as fritar.

Também aqui é necessária alguma organização.

Prepare um recipiente fundo, com uma mistura de açúcar e canela, para passar as trutas depois de fritas.
Escolha uma caçarola funda para as fritar. Eu usei uma caçarola para fritar batatas. A rede da mesma, serva para escorrer as trutas.
Comecei por deitar 1 litro de óleo na caçarola e levá-la ao lume para que aquece-se. O lume não pode estar muito alto, para que as trutas não queimem.

trutas

Depois do óleo quente, meta as trutas com cuidado, para que o mesmo não salte.

trutas

Eu optei por fritar grupos de 3 unidades. Desta forma tinha a certeza que podia fazer tudo ao mesmo tempo. Vigiar as que estavam a fritar, passar as fritas pela mistura de açúcar e canela e dispô-las no tabuleiro.

trutas

Aqui não houve muito tempo para fotos, as tarefas requeriam atenção e algum cuidado!!

Depois de algum tempo, o resultado foi este:

trutas

82 trutas quentinhas acabadas de fazer!!

Agora notas finais e confissões:
A massa que fiz foi feita com apenas 750 gr de farinha, pois quando falei com a minha avó, disse-lhe que achava que o recheio era pouco, pelo que ela me disse para cortar à farinha, assim fiz.
Peguei na receita que tinha para 1 Kg, fiz uma regra de 3 símbolos para cada ingrediente e utilizei as quantidades que me deram (95 gr de banha, 95 gr de margarina e 375 ml de liquido). Saiu tudo muito bem. Acabou por me sobrar recheio!!

Se com os 750 gr de farinha fiz 82 trutas, com 1 kg de certeza que faria mais de 100, que foi o que a minha avó me disse que fazia sempre.

Ontem quando as fritei, não fui capaz de as provar, fiquei enjoada. Contudo a maltinha cá de casa adorou e segundo eles estão mesmo iguais às da avó J., até no cheiro. Hoje sim já provei e voltei a provar várias vezes, estão deliciosas. Aprovadissimas.

Vou voltar a fazer com certeza!!!

A receita completa está aqui.






http://www.paparoka.com/passo-a-passo-trutas-de-batata-doce/

1 Comentários para esta publicação

  1. Carmelina Reis Says:

    Recordei a minha mãe e aminha infância!
    Obrigada

Deixe o seu comentário